Archive for maio \27\UTC 2008

1

27 maio, 2008

Me vejo ansioso para sair. Estou em casa, tomado banho, jantado. Era um leitecafépão que molhava um no outro enquanto via novela. Teria vindo da aula de reforço e não havia mais dever-de-casa. O ano era 89. Eu queria brincar.

Eveline vem pelo portão chamando, e isso era o máximo. Juntava um, dois, três e a imaginação criava brincadeiras de correr, esconder ou ficar sentado, falando coisas de criança dos anos 80, como a novo disco da xuxa ou o último episódio dos Changemen. Não há ladrões, e se tem espaço pra correr sem medo de carros. Alguns sacaneavam no esconde-esconde, e até hoje não sei porque raios sinto vontade de mijar quando tô escondido. Eu adorava correr; a gente fazia campeonato. Queimada era um saco, mas eu ia, porque num ia ficar só mesmo que quisesse. A noite se passa, seo Pinto, pai de Eveline, se senta no banquinho, toca a conversar com a gente: militarismos dele. O portão de casa se abre: é minha mãe chamando. A novela acabou e está tarde. Cansado, contrariado, entro. Às 7 tenho aula, e já é hora. Até amanhã.

momento amo-muito-tudo-isso

21 maio, 2008

meus nenenzim. =)

até isso.

6 maio, 2008

…eu já falei, cara. Eu tô te vendo. Não, não criatura, não funciona. Ora, porque aí é o lugar do bicho-sofá, e você, você é um bicho-folha, caramba! na-fica assim não. Vou arrumar um lugar pra ti, segura a onda.

Pronto. aí. Cadê o bicho-folha? hum? heheh. Eu sei, eu sei, (besta).

eu, ontem.

3 maio, 2008

queria ao menos a idade dele, e o tamanho que desse pra olhar no olho, e mandasse o trabalho às favas, e a coragem de fazer isso mesmo velho, de ir lá e ei, menino, vamo brincar? pega a bola. Fica assim não, olha, a gente pode apertar a campanhia e sair correndo, né não? Tá, vai tu primeiro.